Iluminação Pública.

Queimou uma lâmpada na sua rua e você não sabe a quem deve procurar para resolver o seu problema ?

Com certeza a primeira ideia que você terá vai ser de ligar para a companhia elétrica que fornece a energia da sua cidade não é mesmo ?

Mas infelizmente eles vão te informar de que esta responsabilidade não é mais deles.

Então o que você deve fazer ? Vou te explicar.

A partir de 1° de janeiro de 2015, as companhias elétricas (no caso da nossa região se trata da Cemig e Energisa) transferiram a responsabilidade da manutenção do parque de iluminação pública para as Prefeituras Municipais, obedecendo a Resolução Normativa 414/2010 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

A ANEEL decidiu tomar esta decisão após várias e várias reuniões que aconteceram ao longo de alguns anos, entre 2007 e 2009 aproximadamente.

Esta transferência da responsabilidade de manutenção do parque de iluminação pública para os município, foi feita no intuito de melhorar o atendimento e a qualidade do serviço prestado.

E de fato a proposta foi bem interessante. Porém a execução trouxe algumas dificuldades aos municípios.

Um estudo feito em 2014 apontou que cerca de 30% dos municípios mineiros corriam o risco de ficar sem a manutenção do seu parque de iluminação pública, devido a alguns fatores, tais como falta de conhecimento e capacitação técnica na área.

A partir dai, os municípios começaram a estudar soluções para viabilizarem a execução dos serviços da melhor maneira possível em suas cidades.

Foi então que vários municípios se uniram na ideia de repassar a gestão dos serviços aos consórcios públicos multifinalitários, como é o caso do CIS – CAPARAÓ.

E a razão é bem simples de entender.

Como já falado anteriormente, os municípios não teriam capacidade técnica de atenderem a grande demanda dos serviços de iluminação pública por conta própria, por falta de estrutura e de profissional qualificado.

E também por se tratar de um serviço bastante complexo.

Foi ai que se chegaram a conclusão de que a terceirização dos serviços seria mais vantajosa e menos onerosa ao município.

Porém, mesmo que a terceirização fosse o melhor caminho, ainda assim os custos seriam muito altos, o que inviabilizaria os serviços.

Porém a opção de se contratar em massa, de forma compartilhada, diminuiria consideravelmente estes custos.

E é ai que entra o Consórcio, pois seu objetivo é exatamente este, a contração de serviços de forma compartilhada para gerar economia em escala.

Então a partir de 2015, os municípios pertencentes ao CIS – CAPARAÓ decidiram transferir a responsabilidade pela gestão dos serviços de manutenção de iluminação pública ao consórcio.

E para viabilizar os serviços, o consórcio realizou processos licitatórios para contratação de empresas especializadas para a realização da manutenção do parque de iluminação pública dos municípios consorciados, e também para prestação de serviços de call center para atender aos munícipes de cada cidade.

Hoje o CIS – CAPARAÓ gerencia o serviço de manutenção de iluminação pública nas seguintes cidades: Chalé, Conceição de Ipanema, Durandé, Ipanema, Lajinha, Luisburgo, Mutum, Pocrane, Reduto, Santana do Manhuaçu, São João do Manhuaçu, São José do Mantimento, Simonésia e Taparuba.

E como eu faço para solicitar a manutenção de uma lâmpada queimada em minha rua ?

Simples, vou deixar um cartaz com todas as informações para você logo abaixo.

Após registrar a sua solicitação através de qualquer um dos canais citados no cartaz, a empresa responsável pela manutenção terá um prazo de até 7 dias corridos para atender o seu pedido.

Agora que você já sabe exatamente como funciona a manutenção do parque de iluminação pública da sua cidade, divulgue esta informação para o máximo de pessoas que você puder.

Para que mais e mais pessoas possam se inteirar e cada um possa fazer a sua parte para manter a cidade iluminada.